Tudo sobre o American Pit Bull Terrier (com Richard F. Stratton)
Tudo sobre o American Pit Bull Terrier (com Richard F. Stratton)
Tudo sobre o American Pit Bull Terrier (com Richard F. Stratton)
American Pit Bull Terrier

Tudo sobre o American Pit Bull Terrier (com Richard F. Stratton)

Jairo Teixeira
produzido por
Jairo Teixeira

Eu resolvi fazer uma coisa diferente essa semana.

Para beneficiar aquelas pessoas que não entendem a língua Inglesa, eu coloquei legendas em um vídeo de uma entrevista com o senhor Richard Stratton.

Para quem não o conhece, ele é, entre outras coisas, historiador, escritor e juiz da raça American Pitbull Terrier.

Uma pessoa com larga experiência que conviveu e convive com outras lendas vivas dentro da raça. Espero que desfrutem desse vídeo.

Transcrição do Vídeo

Bom, eu hoje resolvi fazer uma coisa diferente. Eu peguei um vídeo do YouTube, que está em inglês, e coloquei legendas.

Este vídeo é uma entrevista sobre a raça Pitbull com o historiador, escritor, criador de Pit Bulls, o senhor Richard Stratton. Uma figura proeminente no mundo do Pit Bull. Um cara com muita experiência e que conheceu muita gente importante dentro da raça.

Richard F. Stratton with his American Pitbull Terrier

Eu fiz isso por ser uma entrevista rara e difícil de achar. Por ser assim, achei por bem legendar e disponibilizar, para beneficiar aquelas pessoas que não entendem inglês mas que gostam da raça.

Assim poderem aproveitar também e aprender um pouco mais sobre essa raça…

O American Pit Bull Terrier, uma raça que divide opiniões

Bom, eu já abertamente declarei a minha preferência e o meu amor pelo Pitbull. Uma raça que é especial por várias razões e que produz uma certa divisão de opiniões.

Porque quem conhece, quem conviveu, quem gosta é apaixonado. Mas também tem gente que não quer nem ouvir falar no nome. Eu entendo isso, porque muitos se assustam com a história da raça.

Esse é o cão que eu entendo ser o Bulldog original. Esse é o cão de centenas de anos que foi forjado a ferro e a fogo nas arenas de combate. Combateu contra leões, contra ursos, gorilas, cães contra cães. É uma história dura. Uma história de sangue. Uma história de um gladiador!

American Pit Bull Terrier Gladiador

Mas quem conhece esse cão de perto, conhece a nobreza e as virtudes desse animal. Então é um animal que divide opiniões.

Eu sei que tem pessoas que não gostam, mas o vídeo é para aquelas que apreciam a raça como eu. Dando oportunidade para aqueles que não entendem inglês poderem desfrutar desta entrevista.

Um recadinho aos “espertalhões”

Queria aproveitar também para dar um recadinho…
Eu gravei um vídeo, se eu não me engano, ensinando o cachorro a buscar a bolinha. Gravei com o meu “Pet Bull”, o Mogli…

Então, eu chamei ele de “Pet Bull” numa brincadeira e tem gente que ficou zangada e disseram:

“Jairo você falou ‘Pet Bull’. Você está desrespeitando a raça! Você está ofendendo a raça!”

Bem, eu fui falar com o meu cão e ele não pareceu ofendido. Se ele se ofendeu não guardou mágoas, não guardou rancores…

É claro que cães não se ofendem. Pessoas se ofendem. Pessoas se ofendem com coisinhas pequenas.

Eu uso o termo “Pit Bull”, eu falo “Pit Bull” para tudo. Até porque, se eu falar Bulldog, que é como eu gosto de o chamar, e eu uso esse termo quando estou com pessoas que sabem do que eu estou falando, porque aliás eles são os Bulldogs originais…

Agora se a pessoa não sabe o que eu estou falando e eu usar o termo “Bulldog” ela vai achar que eu estou falando daquele bicho atarracado, exageradamente largo, com a cabeça do tamanho de uma melancia, os dentes inferiores à mostra…

Mas eu fiz uma brincadeira e tem gente que é “cri-cri”, tem gente que gosta de “achar cabelo em ovo”.

A origem e o significado do termo “Pit Bull”

Então já que gostam de ser “cri-cri”, vamos falar da terminologia:

Para quem não sabe, o termo “Pit” de American “PIT” Bull Terrier ou de American “PIT” Bulldogs. O termo “Pit” significa: fosso, cova, buraco. Isso numa alusão ao rinhadeiro…

Porque houve uma época em que eles cavavam um fosso, um buraco no chão, um “pit” e colocavam os cães para combater lá dentro.

Portanto o “Pit” é uma alusão ao local de combate, ao rinhadeiro. Então por isso que são chamados de “Bulldogs de Pit”, os “Pit Bull Dogs”. Não fui eu que criei o termo.

“Pit Bull” ou “Pet Bull”?

Por isso, na verdade, quando eu falo do meu cachorro, quando eu o chamo de “Pet Bull”, eu estou sendo muito mais verdadeiro, muito mais honesto.

Porque eu não sou criador de Pit Bulls. Consequentemente eu não testo os meus cães (os Pit Bulls), e consequentemente o meu “Pet Bull” nunca vai ver um rinhadeiro, um “quadrado”, como eles chamam hoje em dia. Ele nunca vai conhecer um rinhadeiro.

Então, na verdade, quando eu o chamo de “Pet Bull” eu estou sendo muito mais sincero, muito mais honesto. Tá? Já que vocês querem ser detalhistas, vamos aos termos.

Agora, os cachorros não se ofendem, quem se ofende são as pessoas…

E não tem nada de errado com o meu “Pet Bull”. Eu gosto muito dele, se eu não gostasse eu não o teria. Tá bom? É um “Pet Bull” sim. Tão legal, tão bacana como tantos outros que tem por aí.

Aliás, a maioria que tem por aí é “Pet Bull”. Só que tem criadores que “juram de pés juntos” que criam Pit Bulls originais. Eles criam Pit Bulls entre aspas. Falta honestidade dessas pessoas.

Tá bom? Portanto, não tem nada de errado em eu falar “Pet Bull”. Mas de novo, eu falo “Pit Bull”, só que eu fiz uma brincadeira e as pessoas ficaram ofendidas.

Então como tem gente que gosta de ser chatinha, ser “cri-cri”, estude os termos, estude a raça e você vai compreender o que eu estou falando…

Tá? Então este é um recadinho aos espertalhões.

Bom, desculpa. Tem gente que se ofende com o que eu falo. Me desculpe por existir, sinto muito, mas é a minha opinião.

Tá bom? Eu espero que vocês desfrutem do vídeo.

Um abraço a todos e até a próxima.

Entrevista com Richard Stratton:

Eu sou Richard Stratton, e sou autor de vários livros sobre Pit Bulls

O American Pitbull Terrier é uma raça que existe a muito tempo e tem sido conhecida por diversos nomes diferentes.

É difícil de conhecer a sua história, porém, se você observar obras de arte, e eu li toda a literatura do século 19, eles têm sido chamados de Bulldogs e eu suspeito que eles sejam os Bulldogs originais.

Possíveis raças oriundas dos Bulldogs originais

E eles deram origem ao chamado Bulldog de exposição…

bulldogs de exposição

E eu penso que eles também deram origem ao Bull Terrier

bull terrier de exposicao

Possivelmente ao Boston Terrier.

boston terrier

Eu não tenho evidências sobre isso, é uma especulação, porém baseada em estudos.

Os livros que publiquei

Antes do meu primeiro livro sobre o American Pitbull Terrier, publicado em 1976, ninguém sabia o que era um Pit Bull.

Livro do Richard Stratton - this is the american pit bull terrier

Não tenho certeza se meus livros foram responsáveis pela notoriedade, eu espero que não, mas talvez sejam.

O segundo foi “O livro do American Pitbull Terrier”…

Livro do Richard Stratton - the book of the american pit bull terrier

E o terceiro um livro de “mesa de centro”. Porque a essa altura os editores perceberam que os livros estavam vendendo muito bem. E foi chamado “O mundo do American Pitbull Terrier”. Um livro bem maior.

Livro do Richard Stratton - The World of the American Pit Bull Terrier

E o quarto, em 1991, chamado “A verdade sobre o American Pitbull Terrier”.

Livro de Richard Stratton - The Truth about the American Pit Bull Terrier

Meu interesse pelos cães começou com os Collies

Eu inicialmente era interessado em Collies principalmente pelos livros que li…

Eu li “Lassie vem para casa”, antes de virar um filme. Eu lembro de ficar desapontado com o filme, pois apesar de ser um lindo cão, não era um cão de exposição e não era a mesma cor do cão do livro. O cão do livro era  tricolor e o do filme cinza.

E mais tarde virou uma série de televisão.

Mas por causa dos livros que eu li, especialmente os livros de Albert Payson Terhune, eu queria um Collie.

E nos seus livros os Collies eram descritos como os melhores em tudo, exceto, que não eram tão rápidos quanto os Greyhounds. Eram o segundo mais rápido…

Eram os melhores lutadores e conseguiam vencer a força bruta com sagacidade, movimentos rápidos, etc. Por isso eu os queria, pois supostamente eram os melhores em tudo.

Meu primeiro cão

Então meu primeiro cão foi um Collie…

Isso foi no Colorado, aí mudamos para o Arizona. Então fomos morar perto de uma casa com vários garotos da minha idade e também mais velhos. Eles tinham um grande Pastor Alemão chamado “Bosco”.

pastor alemão chamado Bosco

Eles tinham uma camionete e iam para o deserto montar armadilhas para raposas, coiotes etc…

E algo que me incomodava muito é que eles atiçavam o “Bosco” nos pobres animais feridos, e começaram a atiçar ele no meu Collie.

Isso me irritava muito e causou inúmeras brigas entre nós. Eu estava muito desapontado pois, onde estava aquele cão lutador, sagaz que eu tinha lido nos livros de Terhune?

Meu primeiro contato com um Pit Bull

O meu pai estava na Patrulha da Fronteira naquela época, e o chefe da Patrulha da Fronteira tinha sido Xerife antes de estar nessa posição.

Um Xerife legendário, da “velha escola”. Ele tinha galos de rinha e Pit Bulls que ele chamava de Bulldogs

Ele me emprestou um cão de nome “Nails” que era menos da metade do tamanho de “Bosco”. Ele me disse:

“Mantenha o cão na guia, e quando os garotos atiçarem o cão deles solte a guia.”

E me deu um “Breaking Stick” (Espátula de madeira para separar cães) e me ensinou como usar.

breaking stick

Eu pensei naquela hora:

“Não consigo ver como esse pequeno cão pode vencer ‘Bosco’. É menos da metade do seu tamanho… Mesmo os Collies não conseguiam fazer isso nas estórias.”

Então eventualmente aconteceu, que eles atiçaram “Bosco” em “Nails”, e ele desapareceu debaixo do Pastor, por ele ser bem maior que o Pit Bull.

Eu pensei:

“O cão do ‘Chefe’ já era! Vai tomar uma surra diante dos meus olhos.”

Porém de repente, o Pastor Alemão começou a chorar um pouco porque o “Nails” estava fazendo seu “trabalho sujo” por baixo. E logo o Pastor tentou se desvencilhar e escapou. Pulou por cima da cerca do jardim de nossa casa e “Nails” saiu em perseguição.

Ele não era grande o suficiente para pular a cerca como o Pastor Alemão…

Então atravessou pelo meio da cerca e conseguiu pegar o Pastor Alemão nos fundos da casa do vizinho.

E então, depois de um tempo, finalmente consegui usar o “Breaking stick” para desgrudar “Nails” de “Bosco” que gritava como louco.

Depois disso “Bosco” já não era o valentão que costumava a ser. Os garotos não conseguiam mais atiçar ele nos coiotes feridos. Não conseguiam mais atiçar ele no meu cão. Perdeu toda a vontade de lutar, já não era mais um valentão.

Isso me deu uma visão de que haviam outros cães além dos Collies. Eu não mudei minha visão imediatamente, mas eventualmente sim.

A minha visão sobre a origem do Pit Bull

A história oficial costumava ser de que o Pitbull ou Bulldog moderno era uma mistura do Bulldog antigo com um Terrier agora extinto: O Terrier Branco.

Terrier Branco

A velha teoria era de que o Bulldog deu “Gameness” ao Terrier e o Terrier deu agilidade ao Bulldog.

No processo de estudar a história da raça, eu comecei a questionar isso, porque todos copiavam todos já no século 19…

Em relação a essa história, eu penso que essa história é a do Bull Terrier de exposição e não a do nosso cão.

Porque se você for ver as gravuras de 400 anos atrás os cães parecem exatamente como os nossos atuais, fazendo exatamente as mesmas coisas.

Bulldogs originais

Então qual seria a razão para essa cruza? Não há razão para isso. Só os faria menos “Game” e eles já eram ágeis o suficiente para fazer o que faziam.

Então ao longo dos anos nós temos pinturas e textos que falam como eles têm sido usados para caça, como caça de javali. E continuam hoje sendo usados para caçar javalis.

Eles têm sido usados como “cão de açougueiro”, para capturar gado bravo e agarrar touros de maneira que o açougueiro possa abater o touro com uma marreta.

E ainda são usados como cães de gado especialmente em terrenos acidentados onde é difícil lidar com o gado. Essas são atividades nas quais eles têm sido usados historicamente, e ainda o são hoje

O que eu creio que aconteceu, foi que os cães com focinho curto foram mantidos como animais de estimação. As pessoas gostam de focinho curto, são mais exóticos, parecem mais humanos.

Esses descenderam dos nossos cães, mas eram meio deformados. Eu creio que esses que foram cruzados com o White Terrier para formar o Bull Terrier.

Você pode ver através das gravuras que aqueles cães originais parecem mais com os cães que temos hoje.

E o Bull Terrier, eu penso, que foi uma cruza dos Bulldogs de focinho curto com o White Terrier. Assim criaram essa raça.

Eu defendo a idéia de que o American Pit Bull Terrier é o Bulldog original. E o Bulldog de exposição é um derivado do original criado basicamente pela aparência.

A influência de John P. Colby na raça

John P. Colby talvez seja o mais famoso criador na história dos Pit Bulls devido ao fato dele ter vendido muitos deles…

John P Colby

E ele também era um defensor da raça. De fato ele ajudou a raça a ser reconhecida pelo American Kennel Club. Algo que em retrospecto pode não ter sido uma boa idéia.

Ele costumava dizer que o Pitbull podia fazer qualquer coisa que outro cão faz e ainda por cima vencê-lo em combate. Isso pode talvez ser um exagero, mas eu concordo parcialmente com ele.

Então pelo fato dele ter vendido tantos cães, ele teve uma tremenda influência…

Ele também atraiu muitas pessoas, incluindo Jack Johnson, que gostava de Bulldogs e os comprou dele.

Existem fotos dele com pessoas famosas da época, que talvez não sejam conhecidas agora. Colby ficou famoso por ter vendido muitos cães, fazia anúncios deles.

Mas eu conversei com pessoas como William Lightner e ele me disse que seu pai tinha cães bem antes da guerra civil. Então os cães não eram todos uma importação recente.

Colby importou muitos cães e descobriu que muitos cães bons vieram da Irlanda. Alguns dos melhores vieram da Irlanda, mas também vieram da Inglaterra. E provavelmente estavam espalhados por todo o mundo também.

Mas era com essas pessoas que ele conseguiu comunicar. Eram imigrantes que estavam vindo e ele os encorajava para que trouxessem seus cães juntos e tirava vantagem disso. Ele comprava os cães ou usava em cruzamentos.

Ele se sustentava vendendo cães. Ele importou cães da Irlanda, os cruzou, e vendia para o público em geral. Por causa disso haviam muitos cães da linhagem Colby. Ele não criou a raça, mas ajudou a espalhar no país.

Quarenta anos atrás quase ninguém sabia o que era um Pit Bull. As pessoas que conheciam, sabiam sobre Colby e alguns outros criadores. Mas os outros criadores costumavam criar apenas para si próprios e não gostavam da idéia do público em geral possuir esses cães.

Eles achavam que as pessoas não eram boas o suficiente para possuir um desses cães. Mas também sabiam que a maioria dos cães andavam soltos naquela época e a maioria das pessoas teriam problemas com cães, se tivessem cães de briga.

Normalmente eles desprezavam pessoas que vendiam cães para o público em geral. John P. Colby era uma exceção nesse caso. Eles davam um desconto, talvez porque ele tivesse uma boa personalidade ou porque tenha iniciado muitos na raça, pois ninguém nunca o condenou.

O termo “Pit Bull”

Foi uma idéia de Chauncey Bennett, dono da UKC no século 19, acrescentar o termo “American” ao Pit Bull Terrier. Ele costumava  promover as raças como sendo Americanas.

É uma forma de ganhar atenção e atrair as pessoas para a raça. Pois era uma época quando as pessoas estavam orgulhosas do seu país. Isso durante o século 19.

O termo “Pit Bull” tem sido usado de forma genérica para muitas outras raças. Incluindo o American Staffordshire Terrier

american staffordshire terrier

o Staffordshire Bull Terrier, e às vezes até para o Bull Terrier.

Staffordshire bull terrier

Numa época eu aconselhei não usar o termo “Pit Bull” para o que nós usualmente chamamos de Bulldog ou American Pitbull terrier. Mas me dei conta de que pessoas envolvidas com a raça, quando falam com pessoas que não conhecem a raça, dizem Pitbull para explicar sobre o que estão falando.

Porque as pessoas não estão familiarizadas com os termos American Pitbull Terrier ou Bulldog. Então eu abandonei a minha própria idéia de evitar o termo “Pit Bull” porque é um termo útil para ser usado com novatos ou alguém que não sabe nada sobre esses cães.

Raças oriundas do American Pit Bull Terrier

O American Staffordshire Terrier e o Staffordshire Bull terrier ainda são chamados de Pit Bull, mas são diferentes entre si e diferentes desta raça. Eu vejo que algumas pessoas os consideram raças separadas, mas eles vieram da mesma fundação.

O American Staffordshire Terrier costumava ser chamado Staffordshire Terrier. Uma época eles eram o mesmo que o American Pitbull Terrier.

Foram reconhecidos pelo American Kennel Club que é uma organização basicamente para exposição de cães.

As pessoas do Bull Terrier não queriam que eles usassem o termo “Bull Terrier” no nome então não deixaram que tivessem o nome American Pitbull Terrier. Portanto deram o nome Staffordshire Terrier.

“Staffordshire” foi um termo tirado de uma província na Inglaterra onde haviam muitos desses cães. Enquanto isso na Inglaterra o Kennel Club reconheceu a raça como Staffordshire Bull Terrier.

Então as duas raças vem da mesma fundação mas são selecionados apenas para exposição…

Então não são o mesmo que o American Pitbull Terrier, que são uma raça por si só, cães selecionados para combate e normalmente são chamados de Bulldogs pelas pessoas que os tem por centenas de anos.

Eles deram origem a inúmeras outras raças. Você pode considerar o Staffordshire Bullterrier e o American Staffordshire Terrier raças diferentes porque têm sido criados em linhagens diferentes.

E agora mesmo, você pode observar raças surgindo a partir desses cães, quer sejam selecionadas ou usadas em cruzamentos. Por exemplo, o American Bully

American Bully

Eu não sei qual a origem exata do American Bully mas obviamente é um derivado desta raça também.

As  vantagens dos cães “Game”

Alguns cães que ainda são chamados American Pitbull Terrier provavelmente são cruzados com algum Pit Bull, porém, são diferentes dos cães selecionados para “Game”.

Em minha opinião os cães selecionados para “game” são os melhores. São os mais inteligentes e os mais saudáveis. Por isso eu os prefiro, eu gosto desses cães.

O que é “Gameness”?

“Gameness é um termo difícil de definir mas eu sempre disse que é a característica de não perder o interesse na luta, independente de como o cão está se saindo…

Ele pode estar apanhando, estar por baixo, mas ele acredita que está vencendo, ou pelo menos está determinado a vencer.

Algumas dessas características aparecem em outras coisas que os Pit Bulls fazem e eu penso que é por isso que muitas vezes eles escalam árvores…

Eles são usados para caçar guaxinim e alguns sobem em árvores atrás dos animais.

Seria difícil manter os cães “Game” sem testá-los entre si

Haverá fim para o combate de cães?

Eu suspeito que nunca chegará o dia quando não vão ser usados com esse propósito em algum lugar. Porque eles baixaram leis criminais nesse país e continua existindo aqui mais do que nunca.

E está espalhado pelo mundo sendo extremamente popular. Em todas as regiões do mundo onde os cães nem eram conhecidos, exatamente como aqui.

Então é difícil acreditar que irá desaparecer completamente…

Para mim não é algo completamente ruim, pois gostaria de ver a raça manter sua integridade e continuar.

E bons cães “Game” não são agressivos com pessoas. Muito raramente um bom cão “Game” vai ser agressivo com pessoas.

Os Pit Bulls combateram contra feras selvagens

Os cães eram usados no século 19 até para combater leões e os venceram por certo tempo…

pitbull lutando contra leão

O Império Britânico trazia vários animais selvagens como elefantes e leões. Naquele tempo a coisa era meio selvagem e as pessoas queriam ver se os cães de luta poderiam fazer algo contra leões. E surpreendentemente eles se saíram bem.

O leão não evoluiu para lutar, apenas com outros leões, mas não contra um cão que atacasse daquela forma. Não estão acostumados com isso.

Mas havia um leão que matou vários Pit Bulls porque tinha coragem e “gameness”, um mínimo de “gameness”.

Por serem bem maiores e mais fortes foram capazes de matar alguns cães.

Eles usavam um cão de cada vez. Alguns cães foram mortos por esse leão. Mas isso era uma exceção, o resto era vencido.

Nem todos cães de linhagem “game” são “game”

Existem cães de linhagem “game” que não são “game”. Muitos deles não são “game”.

A maioria não são realmente “dead game” e alguns são os chamados “cães frios” que não querem lutar e são perfeitos como cães de companhia.

E alguns desses acabam sendo cruzados, o que eu acho um erro, mas, mesmo assim, acabam produzindo ótimos cães de combate.

Eles não são necessariamente “game” só porque são de uma linhagem “game”.

Cães “game” podem conviver com outros cães?

Cães de linhagem “game” e mesmo cães “game” não são necessariamente agressivos com outros cães e podem ser criados de uma maneira a ser compatíveis com cães que conhecem desde filhote.

Existiram ótimos cães de combate, bons Bulldogs que foram criados com um Yorkshire Terrier

yorkshire terrier

E quando filhote, o Yorkshire o dominava sobre a comida. Quando ele cresceu continuou da mesma forma.

Eu tive um amigo que me contou uma vez, ele criava galos de rinha, e ele ganhou um filhote da linhagem Colby.

Ele não sabia o que era, isso numa época que as pessoas desconheciam o que era um Pit Bull.

Ele disse:

“É um cão engraçado. Muito bom! Vai matar os Yorkshires da minha esposa que me deixam louco!”

Mas para sua decepção os Yorkshires continuavam a mantê-lo longe da comida. Mesmo quando crescido era da mesma forma.

Eles brincavam e tudo, mas os Yorkshires eram os que controlavam, especialmente em relação a comida. Ele tinha que sentar e esperar até eles terminarem de comer.

Ele morava no campo, e um cidadão veio pedir orientações com um Pastor Alemão no carro.

Era o primeiro cão estranho que o Pit Bull tinha visto. Ele foi até o carro, perseguiu o cão para fora do carro, foi para baixo do carro e pegou o Pastor Alemão.

Esse meu amigo ficou espantado porque nunca o tinha visto fazer algo assim. Então ele pensou:

“Afinal de contas ele é um cão de briga. Bom, agora ele vai matar aqueles Yorkshires!”

Mas ficou desapontado pois os cães eram parceiros e ainda dominavam sobre o Pit Bull.

Outras funções do Pit Bull

Dos anos 40 até provavelmente os 80 eles eram basicamente usados como cães de briga. Ainda que pessoas o tinham como Pet também, mas a maioria das pessoas se interessavam em criar para combate.

Nos anos 40 às vezes eram cruzados com outras raças para dar maior versatilidade, por exemplo para caçar Guaxinim…

As pessoas que usavam para caça esportiva queriam um cão que latisse para que soubessem onde o cão estava na perseguição. Mas quando caçavam estritamente pela carne, queriam um caçador silencioso, que não latisse…

Descobriram que se cruzassem  o Coonhound com Pit Bulls eles obtinham o que chamaram de Mountain Cur, que perseguia o Guaxinim em silêncio…

O guaxinim não percebia a chegada do cão e não tinha tempo de subir na árvore.

Também faziam uma outra cruza com cães maiores para o trabalho com gado. Mas eu falei com um homem que usou muito eles para isso e ele me disse que fazê-los maiores não funcionou para ele. Ele ainda preferia os Bulldogs puros.

A época em que o Pit Bull era desconhecido

Quase ninguém sabia o que eles eram. Se alguém o visse com um Bulldog ele diria:

“Que tipo de cão é esse? Parece uma mistura de Boxer.”

Algumas pessoas zelosas da raça não gostavam nem um pouco, pois os Boxers eram relativamente novos no país, chegaram depois da segunda guerra. Eram uma raça nova no país comparado com o Pit Bull.

Haviam pessoas que faziam um bom dinheiro viajando pelo país com um pequeno Bulldog. Cães que não pareciam muito durões, talvez alguma cor que não fosse tigrado, tipo um avermelhado ou amarelo.

Iam de cidade em cidade, conversando nos bares com as pessoas e quando encontravam um cão que todos achavam que era durão eles diziam: “Sabe, eu acho que o meu cão pode vencer aquele ali.

Eventualmente eles apostavam dinheiro e tinham que decidir: “Bom, como saberemos qual cão é o vencedor?”

Eles diziam: “Bem, se um cão foge, ele é o perdedor certo?”

Então eles conseguiam um bom sustento assim. Pois apesar do cão ser pequeno, mesmo um cão grande e durão usualmente não consegue tolerar a dor como um Bulldog consegue.

Quando o Bulldog os agarrava e começava a trabalhar, os cães não conseguiam suportar muito tempo… Bem, eu não sei de nenhum caso em que eles foram vencidos.

E esses caras faziam dinheiro dessa forma. Atualmente eles não conseguiriam, pois obviamente todos sabem o que é um Pit Bull.

A Rinha de cães

Eu não necessariamente sou um defensor mas sou familiar com a prática, e para mim nunca pareceu cruel pois os cães obviamente vem sendo selecionados para isso há tanto tempo que eles gostam.

Eu penso que os pontos de prazer dos seus cérebros são acionados quando eles lutam. Eles balançam suas caudas normalmente enquanto lutam.

Eles estão desfrutando. Mesmo quando estão por baixo levando a pior eles agem como se estivessem felizes de estar lá. Os bons pelo menos, e a maioria são assim.

Então, será que é mesmo cruel?

Eu penso que é mais duro para alguns cães do que para outros. Mas, penso também, que por causa dos machucados, os bons donos irão tratá-los com medicamentos de algum tipo para se recuperarem.

E se realmente é muito duro para os cães, não é o suficiente para fazê-los querer parar de lutar…

Porque mesmo que eles tenham passado por um “round” onde levaram a pior, depois de curados, eles ficam mais ansiosos para lutar do que nunca.

Na verdade se você não quer que seu cão aprenda a brigar, nunca deixe ele brigar. E assim ele talvez nunca brigue, mas depois de pegar o gosto, aqueles pontos de prazer no cérebro se ligam e ele vai querer mais depois.

A popularidade atual do Pit Bull

De forma geral a raça era desconhecida através da maior parte do século 20. E como eu disse antes, uma das razões pela qual escrevi meu primeiro livro foi porque eu estava incomodado com o fato das pessoas não entenderem os Pit Bulls.

Eu queria falar sobre eles. Eu temo que isso tenha contribuído para a popularidade. E a razão pela qual eu não gosto é porque não é bom para nenhuma raça. E especialmente negativo para o Pit Bull.

Uma das piores coisas para qualquer raça, é tornar-se popular. Porque aí as pessoas não fazem cruzamentos seletivos, só cruzam quaisquer cães e vendem. Fazem apenas pelo dinheiro, não se importam com a qualidade da raça.

Foi muito ruim para o Cocker Spaniel quando eram populares nos anos 40. A saúde e a disposição decaiu.

cocker spaniel

E o mesmo aconteceu com a maioria dos Pit Bulls. Porque foram criados só por lucro, sem a preocupação com a disposição, saúde etc.

Por isso eu prefiro os selecionados para “game”. Porque eles SÃO os Bulldogs originais.

Nos anos 80, como a raça se tornou mais popular, o American Kennel Club e o United Kennel Club começaram com exposições que nunca haviam antes. E as pessoas os compravam para exposições, para cães de companhia.

E começaram a ficar extremamente populares. A coisa é que, eu penso que são cães fantásticos, mas precisam de donos responsáveis.

A fama dos Pit Bulls em atacar pessoas

Uma das tragédias da raça é que frequentemente atraem pessoas irresponsáveis. E você tem que manter esses cães na guia, não pode deixá-los soltos. A não ser que conheça o cão muito bem, e saiba que vai ficar bem solto.

Mas de qualquer forma, você não é autorizado a deixar cães soltos hoje em dia. Existem leis sobre uso da guia em praticamente qualquer cidade.

Nos anos 80 começaram aparecer muitas estórias sobre Pit Bulls no noticiário. E usualmente eram sobre ataques, e algumas verdadeiras fantasias.

Houve uma estória de um policial que foi perseguido e subiu sobre o carro de patrulha e os cães começaram a mastigar os pneus, e furar os pneus. Pneus revestidos de aço!

Quando ouvi a estória eu suspeitei muito, porque é necessário um cão muito bom para mastigar pneus revestidos com aço. Além disso eu não consigo imaginar um policial pulando em cima do carro. Eles tem armas, eles não hesitam em atirar em cães.

Então eu tenho minhas dúvidas sobre isso…

Mas essas estórias sobre ataques de Pitbulls, nós que conhecíamos os Pitbulls sabíamos que eram fabricadas.

Tinha um amigo meu que era policial e outro que era advogado que gastaram um tempo investigando essas estórias e a maioria das vezes verificaram que não eram Pitbulls, mas outro tipo de cães.

E acontecia que se qualquer outro cão atacasse alguém, era atribuído a um Pit Bull.

Um velho ditado diz que:

“Se um cão morder um homem não é notícia, mas se um homem morder um cão, vira notícia.”

Mas de repente mudou, se um Pit Bull morder alguém, vira notícia.

Os ataques de Pit Bull não são tão comuns como as pessoas pensam. Mas são reportados como sendo de Pit Bulls quando muitas vezes não são.

Muitas vezes quando ataques horríveis acontecem, usualmente pensam em Pit Bulls.

Exatamente como quando acontece coisas no país e pensam em terrorismo, quando não é necessariamente o caso.

No caso de ataques reais muitas vezes envolve falta de bons cruzamentos ou falta de discernimento por parte dos proprietários.

Um dos primeiros exemplos que eu soube que foi um ataque real foi o do proprietário que estava cortando a grama com a máquina.

Seu cão começou a avançar na máquina, por causa do passado de caçador, e a máquina fazendo barulho, se movendo o acabou atiçando. O homem achou que o cão estava incomodando e levou o cão agitado para dentro de casa onde estava uma criança pequena.

Esse cão agitado voltou a sua atenção para a criança que estava fazendo barulho. Pois já estava agitado com a situação. Isso foi irresponsável…

Na verdade eu sou muito cuidadoso com qualquer cão potente perto de crianças, pois as vezes eles não os reconhecem como pessoas. Mas esse foi um caso extremamente extraordinário.

“Pit Bulls” selecionados para modismo

Cães azuis são um tipo de moda agora, e eu não gosto da maioria deles…

pitbull blue nose

Na minha opinião, do que tenho visto, não tem um bom  temperamento. Eles tendem a latir por timidez e é claro que eu prefiro cães “game”.

Existiram cães “game” que eram azuis há muito tempo atrás. Mas não esses cães que vemos hoje. Então eu não teria um cão azul agora.

Você pode fazer cruzamentos seletivos para torná-los maiores também. Eu lembro desse cidadão que tinha um canil chamado “Terra de Gigantes” e se especializou em Pit Bulls grandes.

hulk o pitbull gigante

Ele me disse que nunca fez nenhuma cruza com outra raça, apenas usou cruzamentos seletivos, dentro da raça, para torná-los grandes. Talvez eles tenham sido cruzados com outras raças ou talvez foi apenas cruzamentos seletivos.

Mas o problema é que quando você se concentra em alguma característica como essa você perde algo mais, tipo: saúde, gameness ou outra característica.

Essa é a minha preocupação em relação a isso…

E às vezes temos que admitir que alguém pode ter cruzado com alguma outra raça para torná-los grandes.

Você tem um verdadeiro Bulldog? Seja responsável!

Se você possui um verdadeiro American Pitbull Terrier um verdadeiro Bulldog, você deve ser um dono responsável e não deixar o cão ferir outros animais.

Por causa do seu passado de caçador cerca de 50 por cento deles irão matar gatos. E podem até pegar uma vaca, touro ou algo parecido.

Então precisa mantê-lo na guia e certificar-se de mantê-lo seguro para que não ataque outro cão.

Talvez não ataquem, mas a suposição segura é de que o farão. Algumas pessoas não se dão conta disso.

Eu lembro de ler numa revista de cavalos, uma pessoa tinha um Bulldog e ele agarrou um cavalo e o derrubou no chão com o cavaleiro junto.

Ela nunca imaginou que ele faria isso, então não foi cuidadosa…

Por isso um dono de Bulldog deve ser realmente cuidadoso. Você não quer o animal de alguém ou o “pet” de alguém ferido.

O “porquê” de ter um American Pit Bull Terrier

Muitas pessoas se perguntam o porquê de alguém querer um American Pit Bull Terrier. E eu penso que as pessoas que o apreciam são aquelas que apreciam um cão nobre e corajoso.

E penso que muitas pessoas não necessariamente querem isso, então não deveriam ter um Pit Bull.

Mas tem a opção de serem guardiões, como John Colby disse: “Eles podem fazer tudo o que outros cães podem fazer e ainda vencê-los”.

Temos que ter isso em mente e sermos donos responsáveis. Mas isso é uma das melhores coisas em possuir um Bulldog. Saber que você tem um cão que por séculos tem sido selecionado por pura coragem.

Eles são cães realmente nobres e penso que merecem proprietários especiais. E penso que as melhores pessoas devem tê-los.

E isso nem sempre é o caso, mas o cão não deveria ser penalizado por existirem maus proprietários.

São uma grande raça, tem existido por mais de 400 anos, e espero que fiquem por mais 400 anos. Ou mais mil anos… 10 mil anos.

Deixe seu comentário

Postagens relacionadas

Você quer um site incrível como este?
Sim eu quero!
Shares